Google Analytics para eCommerces Básico

Como ganhar dinheiro na internet com insights de marketing do Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta indispensável para quem investe em seu site como estratégia de marketing. Mas esse recurso tão conhecido ainda esconde alguns mistérios para quem não sabe exatamente o que procurar.

Está na hora de descobrir como cada métrica do Analytics pode contribuir para o seu objetivo – e começar a aprender como ganhar dinheiro na internet.

A história é antiga. Você monta um negócio ou um projeto e já sabe que vai precisar de um site. Afinal de contas, hoje em dia ninguém vai para a frente se ficar para trás na internet.

Depois de tomar os primeiros passos – escolher um nome, desenvolver uma identidade visual, buscar a melhor opção de hospedagem de sites – você sabe que precisa de algum modo para conhecer melhor os hábitos do seu público.  O que eles procuram com você? O que estão encontrando e o que pode estar mandando todos para longe? O Google Analytics está ali para ajudar: você acessa o seu painel e vê todos aqueles números e gráficos, dizendo quantas visitas recebeu, caminhos de usuário e assim por diante. Maravilhoso, né?

O problema é que você precisa lembrar que cada métrica pode esconder alguma dica de como tornar o seu conteúdo mais atraente e fazer mais pessoas passarem mais tempo vendo ele. Ou talvez o que você queira seja aumentar a conversão e o tempo de permanência não é tão importante assim. Aqui nós damos algumas dicas de como interpretar os dados do Analytics com base nos seus objetivos e descobrir novos objetivos com base nos dados do Analytics.

Mas antes, não esqueça de algumas coisas: antes de sair fazendo anotações e mais anotações do Analytics, invista em um serviço confiável de hospedagem de sites que garanta segurança e estabilidade ao seu projeto. Não adianta saber tudo de métricas e perder as informações mais importantes porque seu site ficou fora do ar! Em especial, busque as opções de hospedagem barata que vão pegar leve no seu bolso e deixar alguma grana para investir em AdWords e outros serviços de monitoramento de site, como o Alexa ou o Ahrefs.

Leads: fale alto

Talvez seu grande objetivo seja geração de leads (na verdade, é o de muita gente!). Para acompanhar o progresso dessa meta, o ideal é olhar para a origem dos acessos e os caminhos dos usuários. Por onde eles entram e que páginas olham no seu site até irem embora?

Analise estes pontos de entrada e saída e reflita: há algum link com destaque, que tenha um call to action claro? Essa chamada é clara o suficiente para levá-los até onde você quer? Clareza nos textos – e nos links – é chave para medir o seu tráfego, porque serve como um padrão de análise para todas as páginas. Todas elas anunciam de forma óbvia aquilo que você mais quer divulgar? Quando isso acontece, as chances de você conseguir aqueles acessos tão desejados é muito maior.

Talvez, ao olhar para esses dados, você descubra que o que mais contribui para os leitores acessarem várias páginas do seu site não é o que você tinha planejado. Isso não significa um fracasso, pode ser uma oportunidade de rever as suas ideias do que o seu público busca, e ajustar o seu conteúdo de acordo.

Uma breve repaginada na sua estratégia de conteúdo pode ser o que você precisa para aumentar o engajamento… e o segredo estava ali no Analytics o tempo todo.

Audiência: quem são? Onde vivem? O que comem?

Está bem, talvez você nunca descubra o que o seu leitor come só com base no Google Analytics. Mas os dados demográficos podem ser essenciais para reorientar a sua estratégia. Olhe, por exemplo, para os locais de origem dos seus visitantes e compare isso com as taxas de conversão.

Talvez você veja que uma região contribui poucos visitantes comparada às outras, mas que lidera disparado nas taxas de conversão. Aí pode estar a sua chance de ajustar suas campanhas de Google AdWords – ou até mesmo apostar no assim chamado conteúdo tangencial.

Isso não é nada mais do que aquele conteúdo que não está diretamente ligado ao seu site, mas que interessa o seu público-alvo e por isso leva eles até você. Dados como idade e gênero podem contribuir do mesmo jeito. É só ficar de olho.

Conhecer o perfil dos seus visitantes pode ser uma oportunidade de customizar aspectos do seu site, desde a mensagem de boas-vindas até o tipo de guest post que você publica.

Vale a pena investir em serviços como o Alexa, da Amazon, para descobrir que tipo de sites essas pessoas frequentam. Dê atenção a alguns fatores específicos. Eles preferem páginas ricas em imagens? Altamente interativas? Mais sérias ou totalmente descontraídas? Veja como o seu projeto pode ser adaptado para se aproximar do que você encontrar na pesquisa.

Cadê?: Usando a ferramenta de Pesquisa no Site

Se o seu site não tem uma ferramenta de busca embutida, já passou da hora de consertar isso. Essa é a maneira mais prática de descobrir o que seu público quer quando chega em você.

Na verdade, qualquer campo onde o usuário insira qualquer informação pode ser muito valioso para você. É como fazer várias pequenas pesquisas sem aquele aperto de se sentir chato incomodando alguém. (ei, nunca se sinta assim. Conhecer alguém melhor é importante para proporcionar uma experiência satisfatória!)

O Google Analytics permite que você meça os termos usados na busca, sua frequência, por quem foram usados, etc. Dá para ver porque isso é uma mina de ouro em potencial, né?

Não esqueça do offline!

Às vezes, você pode ver picos de tráfego no seu site que chegam de surpresa. Sem saber como você tem se comportado para além da sua própria página, pode ser difícil entender o porquê. Talvez você tenha participado de algum evento que gerou divulgação em outros canais. Quem sabe um produto seu foi mencionado por alguém com muitos seguidores. Acompanhar esses acontecimentos – e, mais importante, quem é impactado por eles, possibilita que você identifique novas oportunidades de parcerias, por exemplo.

Dica: habilite os relatórios do Google Analytics Intelligence, que avisa caso aconteçam mudanças súbitas de tráfego que poderiam passar despercebidas em uma análise comum. Dá até para configurar a sensitividade da ferramenta e escolher se você quer saber de todas as anomalias ou só das mais pronunciadas.

Para finalizar…

O Google Analytics é indispensável para qualquer projeto de marketing na internet, mas sozinho, ele não faz milagres! Fique sempre de olho nas tendências do marketing digital e tire ao menos algum dinheirinho do bolso para investir em campanhas pagas. Os resultados podem ser surpreendentes.

 

Este post é uma contribuição da Hostinger, uma multinacional de hospedagem de sites com escritório no Brasil. A WebLink é uma marca da mesma empresa direcionada especificamente para o mercado brasileiro.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *