Artigo - Black Friday, pessoas por trás dos números

As pessoas por trás dos números da Black Friday

Os números da Black Friday 2017 mostram que a data está realmente se consolidando no mercado brasileiro, como você pode ver no estudo exclusivo feito pela Social Miner com base no comportamento de mais de mais 21 milhões de usuários e de 230 milhões de registros de comportamento, monitorados entre 01 de outubro e 24 de novembro de 2017.

Bem, eu sou uma das pessoas que fazem parte dessa estatística! 

E por mais que pareça óbvio, nunca é demais reforçar: eu não sou só um número.

Amazing Reaction GIF

Trabalho com marketing digital, moro em São Paulo – que, a propósito, é o estado com maior destaque em volume de vendas – e todo ano tento resistir à Black Friday. Mas sabe como é, fica complicado

E já deu pra perceber que com todo mundo é assim, porque a cada ano que passa as vendas têm aumentado.

Segundo números da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), as lojas virtuais nacionais movimentaram R$ 2,48 bilhões, o que representa uma alta de 16% em relação ao mesmo período de 2016.

Eu vou confessar que adoro essa data do ano e sempre me cadastro para receber ofertas em primeira mão ou pra ficar sabendo das promoções de um jeito diferenciado! Afinal, não tem nada melhor do que acessar o site daquela marca que você tanto ama e ser recompensada com um bom desconto.

Eu sou cliente fidelizada de algumas lojas. Faço parte dos 50% dos usuários que compraram em 2016 e voltaram a comprar no mesmo e-commerce na edição de 2017.

Ano passado, acessei o site de um grande varejo para comprar um iPhone e na última semana me dei um Kindle de presente. E não é à toa que eu espero essa época para comprar os eletrônicos que quero: a categoria está em segundo lugar no ranking de melhor média de descontos:

Ranking Categorias Black Friday 2017

Antes de comprar, é claro que eu dou uma boa pesquisada para garantir que as ofertas são realmente imperdíveis. Pelo que analisei por aqui, não sou a única com esse comportamento. O consumidor brasileiro parece que está ficando cada vez mais ~~espertinho~~.

Além do pico inicial de vendas na quinta-feira, vimos em nossa análise que os acessos começam a cair durante a sexta feira, mas os pedidos continuam sendo realizados (voa conversão ), ou seja, o pessoal finalmente está decidido a comprar depois de olhar tudo com muito cuidado.

Sabe qual é outra coisa interessante? Dificilmente eu fico longe do meu celular. Antes de dormir, a última coisa que faço é dar aquela checada no WhatsApp, e assim que acordo, já olho logo o Instagram. Mas mesmo com todo esse apego, sempre faço as minhas compras pelo desktop.  

É curioso pensar que apesar do aumento de representatividade do mobile no decorrer dos anos, durante essa edição da Black Friday os consumidores optaram por usar o desktop como principal dispositivo tanto de pesquisa quanto de compras.

Visitas Desk vs Mobile BF 2017Essa é um pouquinho da minha história enquanto consumidora que aproveitou a Black Friday 2017. Pelo Brasil, existem outras milhares de histórias 🙂

Entender o comportamento do mercado e o que está por trás de cada uma delas é o que vai fazer o seu negócio crescer. Acreditamos nisso e queremos compartilhar o nosso conhecimento com você.

Gostou? Clique aqui e baixe o estudo completo e exclusivo da Social Miner sobre a Black Friday 2017.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *