Afinal, o que é Inteligência Artificial

Afinal, o que é Inteligência Artificial e como usá-la pra vender mais?

Quando te perguntam “o que é Inteligência Artificial (IA)?”, a primeira coisa que vem na sua cabeça é aquele filme com o Robin Williams? Na minha, era. Pelo menos até eu começar a ler e pesquisar sobre tecnologia e IA quase que diariamente.

De repente, toda essa ideia de robôs com aparência humanoide e voz mecânica deram lugar à certeza: a Inteligência Artificial está em todo lugar, por trás dos serviços mais comuns – desde a recomendação de filmes da Netflix, até o chat que abrimos no aplicativo do banco.

E, como não poderia deixar de ser, a Inteligência Artificial tem muitos recursos para oferecer para os sites e-commerces. As empresas, sejam pequenas ou grandes, podem se valer dessa capacidade de “pensar” das máquinas para processar o infinito volume de dados que recebem todos os dias e deixar que a IA traga soluções, tudo isso com muito mais rapidez e precisão.

Quer entender melhor sobre o assunto? Vem com a gente! Vamos te explicar, de uma vez por todas, o que é Inteligência Artificial e tudo o que ela já oferece e ainda pode oferecer para o seu negócio.

A vida imita a arte… não, “pera”.

Há mais de 30 anos saiu o filme “De volta para o futuro”. Naquela época, o Marty McFly foi parar em 2015, cercado por hoverboards, tênis inteligentes da Nike e carros voadores.

E se, até hoje, algumas das coisas que vimos no filme ainda não apareceram ~~exatamente~~ como esperávamos, mesmo estando em 2018, outros recursos como plataformas de pagamento alternativas, controles por movimento, biometria e comando de voz foram só algumas das previsões certeiras do filme.

Agora, uma coisa que nem esse clássico dos anos 80 foi capaz de prever é como estaríamos usando a Inteligência Artificial (IA) para otimizar as atividades mais comuns do nosso dia a dia.

Na real, o que é Inteligência Artificial?

Por definição, a Inteligência Artificial está ligada à capacidade das máquinas de pensarem como seres humanos, conseguindo aprender, analisar e tomar decisões de forma racional e inteligente.

Quando falamos assim, parece algo meio fora da caixinha, né? Dá logo para pensar em robôs, com aparência humanoide, simulando expressões, respondendo a perguntas de forma mecânica. Mas, na realidade, o que queremos mostrar é que a tecnologia por trás da Inteligência Artificial está muito mais próxima do que você imagina.

Você já conta com a inteligência das máquinas e nem sabia…

A Inteligência Artificial está em tudo. Ela vai desde o comando de voz que você dá para o seu computador até o reconhecimento facial – um recurso presente em vários celulares e apps de bancos mais modernos.

A tecnologia é responsável pelas recomendações do app de streaming que você assina, pela eficiência da Assistente do Google, que agenda seus compromissos pessoais, pelas ferramentas de tradução simultânea que você usa durante as viagem para o exterior, e muito mais.

Mas, mais do que isso, ela está por trás dos algoritmos que otimizam serviços – como os bots de atendimento automático ao cliente, disponíveis em alguns sites – ou processam em frações de segundo, milhares de dados como sua geolocalização, perfil comportamental, etc, para entregar o conteúdo mais certeiro.

Em cada foto no feed do Instagram

Sabe aquele amigo de infância, com quem você tem pouquíssimo ou nenhum contato, mas costumava ver todas as fotos no Instagram? De repente ele sumiu do seu feed e você reparou que não via as fotos do cachorro dele há um tempo. Só que, quando entrou no perfil dele, lá estavam elas: o cachorro correndo, babando, dormindo… Mas, ué, como você perdeu isso?

Bem, desde 2016, o Instagram, assim como Facebook e outras tantas redes sociais, usam um algoritmo para selecionar os conteúdos mais relevantes para aparecerem na sua linha do tempo. E adivinha? Tem um dedinho de Inteligência Artificial aí.

O que é Inteligência Artificial e como ela é usada no Instagram

Através de Machine Learning, algoritmos como esses usam dados de navegação para adquirir cada vez mais conhecimento sobre o perfil de cada usuário e reconhecer padrões de comportamento – que tipo de fotos você curte, que tipo de informação procura, o que você compartilha com outras pessoas?

O recurso permite que as plataformas inteligentes usem esses insights para selecionar, dentre os praticamente infinitos conteúdos na rede, o que você mais gostaria ou estaria mais inclinado a consumir. Ou seja, dentre todos os seus contatos no Instagram, com quais você mais interage, curtindo fotos, comentando, compartilhando vídeos? Pois essas pessoas e marcas vão ter um lugar especial na sua timeline.

No Google nosso de cada dia

Quer outro exemplo? Quando você vai fazer uma pesquisa no Google, ele costuma completar suas frases melhor do que seus amigos fazem na vida real. Pois é… tem algoritmo e Inteligência Artificial aí também. E, apesar de te conhecer bem, te arranca algumas risadas de vez em quando…

O que é Inteligência Artificial e como ela é usada no Google

De like em like no Facebook

Quem nunca recebeu aquela sugestão para marcar um amigo na foto? E, melhor, quem nunca se assustou ao ser marcado em uma? “Como é que o Facebook sabe que sou eu aqui nessa foto? E olha que eu tava fazendo careta, todo descabelado”.

Reconhecimento facial, minha gente. Nesse caso, através de Computer Vision, a máquina aprende a “ler” as imagens e reconhecer dados multi-dimensionais.

No tête-à-tête com o celular – ou tablet, se você for desses

E isso nem é novidade, né? Hoje, tem telefone que desbloqueia só de te “encarar”. Biometria é legal, mas acessar seu celular só de olhar pra ele é beeeeeem legal né? E o que dizer dos aplicativos de banco que já usam reconhecimento facial como camada de segurança. Outro dia fui trocar a senha do meu cartão pelo app e pá: para confirmar o processo, bastou uma selfie.

No bate papo – com a loja, a farmácia, o banco

Cara, um dos recursos mais legais da Inteligência Artificial é proporcionar mais interatividade para os usuários. Imagina acessar um site e resolver todas as suas dúvidas pelo chat, bem na hora. Nada de email, tempo de resposta, esperar na fila para falar com um atendente.

Na real, quem vai te atender é uma máquina, programada para encontrar as melhores respostas para as suas perguntas. E, caso você esteja pensando naquelas frases engessadas ou respostas que te levam para a página de “Dúvidas Frequentes”, a gente já adianta: não é disso que estamos falando.

Se for bem feito, o serviço não tem nada de mecânico. Além de ser interativo, conversando com você, ele utiliza recursos de Natural Language Processing para reproduzir a linguagem humana. Um exemplo? No mês passado eu tive uma cobrança duplicada no cartão de crédito. Por incrível que pareça, isso nunca tinha acontecido comigo, então eu queria saber como poderia contestar a conta.

Acessei o app do meu banco e fui atendida pelo o que eu achei que era uma pessoa, mas acontece que era um bot imitando muito bem um ser humano. Tiraram todas as minhas dúvidas, apesar de não conseguir resolver meu problema (rs paciência). Ainda não há bot que elimine as burocracias da vida, mas a gente chega lá.

A semelhança entre a linguagem dos bots e das pessoas reais foi, inclusive, objeto de estudo do cientista Alan Turing. Ele propôs um teste que avalia se uma máquina demonstra inteligência equivalente ou indistinguível a de um humano. Em resumo: uma máquina consegue fazer uma pessoa acreditar que ela é humana? Se Turing me perguntasse, diria que que o chat do meu banco passou no teste.

Quer outro exemplo de aplicação IA nos chats?

Hoje as empresas já estão usando ferramentas de bate papo como o Messenger para conversar com seus usuários e: adivinha! Por trás de muitas das mensagens tem tecnologias de automação e Inteligência Artificial – seja na recomendação de produtos ou na apresentação do histórico de consumo do usuário.

No consumo – de entretenimento, produtos, conteúdo

Sabe aquele anúncio que você recebe nas redes ou a mensagem que te oferece algum produto que você já tava querendo há tempos? Ou aquelas recomendações de textos que você recebe assim que acaba de ler um artigo da revista X? Não, não é coincidência. É Inteligência Artificial que, baseada nos seus interesses, recomenda aquilo que você pode estar mais disposto a querer consumir.

E como os e-commerces podem usar a IA?

O universo dos e-commerces está em constante crescimento e transformação. Isso significa que, seja o seu negócio pequeno ou grande, muitos dados são coletados todos os dias. Informações que poderiam ser processadas e analisadas.

Mas, a questão mais importante é: uma vez tendo acesso a essa massa de dados, como sua empresa usa essas informações para ganhar um diferencial de mercado e ter vantagens sobre a concorrência?

O fato é que, com equipes cada vez mais enxutas, a escalabilidade se torna uma grande desafio. Nesse contexto, a Inteligência Artificial surge como uma valiosa aliada para as lojas virtuais.

Exemplo #1

Em um artigo na Forbes, Oliver Tan afirma que a experiência de compra do futuro será dominada pela tecnologia de IA. Isso porque seus recursos deixam os produtos mais acessíveis e em evidência para consumidores, aumenta a eficiência dos recursos de pesquisa e permite que plataformas sociais – alô Messenger – se transformem em canais de venda diretos.

Nesse sentido, as empresas podem usar os recursos de IA para criar estratégias baseadas na integração entre sites e plataformas sociais e de mensagens. O objetivo é garantir que as ofertas e produtos cheguem ao público e que essas pessoas avancem nas suas jornadas de compra, independente do canal em que estejam engajadas.

Exemplo #2

Talvez olhando no seu Analytics você saiba qual é a média de páginas visitadas do seu site ou quais são as favoritas do público. Mas você sabia que a essas informações têm relação direta com o engajamento e conversão dos seus visitantes?

Recursos de inteligência podem analisar automaticamente a performance do seu site e fornecer uma boa previsão de receita para o futuro. Dessa forma é possível ganhar previsibilidade para o seu negócio e planejar ações pontuais e certeiras para aumentar as vendas.

Além disso, usando modelos estatísticos similares ao de Machine Learning, aqui na Social Miner nós fizemos um estudo que mostrou que as pessoas que compram online tendem a visitar muito mais páginas do site (no estudo, em específico, 12) do que aquelas que deixam a página sem converter (5). Com esse modelo criado, pudemos prever com baixíssimo grau de erro, a probabilidade de um visitante comprar ou não, baseado em seu comportamento de navegação.

Esses dados demonstram uma relação direta entre o engajamento e a intenção de compra dos consumidores. Ou seja, com esses dados em mão, é possível planejar em ações de marketing, para aumentar essa taxa e, consequentemente, aumentar as oportunidades de vendas.

Exemplo #3

Uma vez conhecendo o seu usuário, sua marca pode fazer algo similar à inteligência da Amazon, por exemplo, e fazer recomendações de produtos baseadas no comportamento de compra dos seus clientes. Se você comprou essa blusa, pode gostar também dessa calça; e se comprar essa calça pode precisar também dessa bota; e daí por diante.

Exemplo #4

O atendimento ao cliente é uma das operações que mais demandam suporte pessoal. E se você pudesse automatizar parte ou mesmo todo esse fluxo? Falamos bastante dos chatbots hoje, certo?

Aplicado nesse contexto, a IA oferece uma experiência de atendimento mais personalizada e agradável para os clientes, entregando respostas assertivas para o usuário, aumentando as chances de satisfação.

Conclusão

Deu pra ver que a Inteligência Artificial é uma das grandes apostas do mercado para acelerar processos e ganhar escalabilidade, sem abrir mão da personalização nas relações entre empresas e clientes.

Com a IA é possível analisar e agir baseando-se nos milhões de dados que você coleta todos os dias, com rapidez, ganhando a dianteira e usando essa inteligência para vencer os principais desafios comerciais de forma automática.

Quer ter esse conteúdo, em PDF, para consultar sempre que desejar? É só baixar nosso e-Book.

Quero!

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *