acre

7 coisas que o estudante desaparecido do Acre pode nos ensinar sobre Marketing Digital

Se você entrou nas suas redes sociais pelo menos uma vez nos últimos dias, deve ter notado que o assunto mais comentado (e bizarro) do momento é o caso do Bruno, o estudante desaparecido do Acre, que sumiu deixando para trás 14 livros escritos à mão e criptografados.

A história já estaria boa se parasse por aí, mas o quarto do rapaz preenche todos os requisitos para ser cenário  de um filme do Dan Brown. Tem muitos enigmas simetricamente espalhados pelo ambiente, desenhos geométricos, chaves que podem ajudar a decifrar o mistério e até uma estátua do filósofo italiano Giordano Bruno.   

Há quem diga que tudo não passa de jogada de marketing de uma nova série da Netflix e há quem acredite que o menino é uma espécie de missionário.

Sendo uma pessoa que adora uma teoria da conspiração, um documentário investigativo e um CSI Miami, fiquei intrigada e meio fascinada com o poder de viralização da história do tal menino do Acre.  

Já parou pra pensar no tanto que uma história improvável, inusitada e viral pode nos ensinar sobre Marketing Digital? Te convido a embarcar nessa ~onda conspiratória~ e refletir sobre alguns pontos.

#1 O poder da viralização

Ninguém sabe exatamente de onde toda essa história surgiu, mas de um dia pro outro, ela estava na boca do povo. Do jornal local do Acre até os maiores portais jornalísticos, não teve ninguém que não desse destaque para a notícia.

E quer saber alguns dos motivos que levaram a essa viralização?

A narrativa é completamente fora da caixa, chegando a ter uns toques de ficção que deixam uma duvidazinha sobre a veracidade de tudo; desperta a curiosidade por um desfecho, afinal, todo mundo quer saber aonde foi parar o menino do Acre; e faz com que todo mundo se sinta um pouquinho Sherlock Holmes, com o poder nas mãos para inventar uma nova teoria sobre o caso.

Como você tem usado a facilidade de propagação da internet nas suas campanhas de marketing?

Um brainstorming com sua equipe pode resultar em excelentes ideias. Aquelas que parecem loucura, em um primeiro momento, são as que têm maior potencial.

As pessoas querem ver o novo, gostam de marcas que ousam fazer coisas que nunca foram feitas.

É lógico que é preciso manter coerência no discurso e zelar pelo branding, exatamente como Reclame Aqui fez (e viralizou) com o Jantar da Vingança.

Datas comemorativas são um ótimo gancho para colocar toda a criatividade pra fora e planejar uma super campanha.

#2 Design importa (até para o Bruno do Acre)

O quarto, que poderia ser facilmente transformado em locação do Universal Studios, acalma o coração de qualquer designer.  

quarto 1

Tá certo que os textos poderiam ser mais espalhados e menos escritos em blocos tão grandes, mas que a diagramação está impecável, não dá pra negar.

Os desenhos também seguem proporções quase áureas e a escultura dá o toque final na produção.

Agora imagina se o quarto estivesse uma zona: um monte de papel jogado com todo o conteúdo pra tudo quanto é lado, sem nada escrito nas paredes e muito menos uma estátua.

Ou se fosse um quarto “normal”, mobiliado com cama, armário e uma escrivaninha. O conteúdo poderia ser o mesmo e estar lá, esperando para ser descoberto. Mas será que alguém daria tanta atenção assim? Eu duvido.

Viu como a apresentação importa? Somos extremamente visuais e por isso, você deve se preocupar constantemente com a identidade do seu negócio.

O seu site é de fácil navegabilidade? Apesar de ter deixado os livros criptografados, o Bruno se preocupou em dar uma mãozinha para quem se interessasse por decodificá-los, deixando uma chave para guiar a tradução dos símbolos usados para as letras.  

chave02

E você? Tem ajudado os seus consumidores a encontrar o que eles estão procurando dentro do site?

Ah, e o Bruno também deu uma aula sobre organização por categorias, segmentos, tags e tipos de produtos, deixando todo o conteúdo separado e encadernado em diferentes volumes.  

Acre2

E levando o design desse quarto pra vida, podemos resumir assim:

acre5

#3 Conteúdo é rei

Você acabou de ver o quanto ter um bom layout é importante, certo? Se o conteúdo é o rei, a identidade visual é a rainha,. Isso significa que para alcançar os melhores resultados possíveis, esse casamento precisa existir.  

Saber tudo o que foi escrito pelo menino do Acre é uma das partes mais intrigantes do caso. Pode ser que nada faça sentido, que o conteúdo seja uma réplica de algo que já foi dito ou apresente uma visão completamente nova de mundo.

Ninguém sabe, mas todo mundo quer saber.

A maioria de nós tem ânsia pelo conhecimento e quer absorver o máximo de informação possível.

Mas com tanto conteúdo disponível na internet, você precisa ser muito bom pra se destacar, sabe? Não adianta fazer aquele trabalho mediano achando que vai conseguir um lugar no topo do Google.

Começar uma estratégia de marketing de conteúdo vai dar trabalho e você vai precisar colocar as mãos na massa, igualzinho o Bruno fez.

Ou você acha que ele conseguiu criar esse conteúdo em forma de cenário da ficção de um dia pro outro?

Aposto que teve muito estudo de referências, planejamento de conteúdo e revisões.

#4 Estimule o engajamento

Grande parte das pessoas que acessam o seu site não interagem com a marca, né? Elas só entram lá, procuram por alguma oferta de seu interesse e depois, saem.

Com a história do menino do Acre também é assim. Muita gente acessa algumas matérias, lê sobre o caso em diferentes sites, e depois, vida que segue. 

Mas sempre tem aquelas pessoinhas que QUEREM interagir, entender melhor o que aconteceu, decodificar os livros e só estão esperando uma oportunidade para isso.  

É aí que surge o site “Decifre o livro”, uma criação de dois desenvolvedores que permite que qualquer internauta ajude a decifrar os textos por meio de um teclado personalizado com os símbolos utilizados.

A recompensa para quem ajudar? Simplesmente desvendar o enigma.

Essas pessoas poderiam deixar a história pra lá, se não encontrassem um site como esse.

Comparativamente, elas representam aquele 95% do seu tráfego que vai embora depois de dar uma conferidinha básica no que você pode oferecer.

Por quê, então, você não cria mecanismos para engajá-las? Pode ser uma landing page que ofereça um conteúdo útil e exclusivo ou um social bounce que permita que os visitantes se conectem com a sua marca por meio de um Facebook Login.

O importante é não deixar pra lá e pensar em estratégias para trabalhar esse público e depois, vender por engajamento.

#5 Melhor que consumidores, são embaixadores de marca

Muita, muita, mas muita gente compartilhou a história do Bruno nas redes sociais, comentou alguma matéria sobre o caso ou marcou algum amigo em uma publicação. Foram essas pessoas, que atuaram de maneira mais ativa, que fizeram a história viralizar.

Elas começaram a produzir conteúdo sobre o que pensavam, criar teorias e até mesmo um site para decodificar os livros foi feito, como você já viu acima.

E para pra pensar: a maioria delas gastou um tempo se envolvendo com esse caso, sem ganhar um centavo.

Se você digitar “bruno do acre” no YouTube, vai encontrar impressionantes 16.700 resultados de busca.

youtube

Já pensou se você conseguir gerar esse boca a boca todo com a sua marca?

Se arranjar um jeito de se envolver com os consumidores a ponto deles fazerem toda essa divulgação do seu negócio de forma natural e espontânea? Não é fácil, mas é possível. O fator crítico de sucesso é ser capaz de gerar um alto nível de identificação e conexão emocional para transformar os clientes em embaixadores de marca, leais e fidelizados.

O Nubank, por exemplo, conseguiu fazer com que os seus usuários expressassem publicamente o orgulho de serem “nus”, pelo lugar que conquistou na mente dos seus clientes-embaixadores.  E aí, postagens como a que está abaixo, se tornaram comuns.  

nubank

#6 SEO faz toda a diferença

Até semanas atrás, os primeiros resultados que apareceriam no Google ao digitar o nome “bruno”, muito provavelmente estariam relacionados com ex goleiro do Flamengo, saindo da prisão ou com as letras da dupla sertaneja Bruno & Marrone.

Mas nos últimos dias, adivinha o quê aconteceu? Com esse burburinho todo sobre o “bruno do acre”, os links principais que apareceram na busca foram bem diferentes.

Pesquisando em modo anônimo, duas das três matérias em destaque, são sobre o caso, assim como os dois primeiros links de sites relacionados.

Repare que a palavra chave utilizada é extremamente genérica.

seo1

seo2

Analisando o Google Trends, a repercussão do caso também fica muito evidenciada, por meio de diferentes palavras-chave, com todas atingindo 100% de relevância no período atual.

estudante desaparecido

estudante do acre livros  bruno do acre

Ou seja: o seu posicionamento em mecanismos de buscas é sim um termômetro para definir como anda o posicionamento da sua marca e as vendas.

Tenha um planejamento focado em otimização para conseguir se destacar em meio à concorrência e lute pelo topo dos termos que são mais relevantes.

Uma dica é usar palavras-chave de cauda longa para conseguir corresponder a buscas mais personalizadas do seu público.

#7 Saiba contar histórias

A narrativa desse estudante desaparecido tem todos os elementos de um bom Storytelling: é visual, tem um personagem forte, desperta emoções e tem um conflito que precisa ser resolvido. Com tudo isso, não é de se espantar que o caso tenha ganhado tanta repercussão.

E como você tem usado o Storytelling para divulgar o seu negócio e posicionar a sua marca? Essa capacidade de transmitir valores, ideias e fatos através de uma narrativa fluida, relevante e coesa, pode ser a chave para ocupar um lugar único na mente dos consumidores.

Saber contar uma boa narrativa é essencial quem quer ser referência no mercado em que atua.

Lembre-se que uma única história pode virar pra sempre a lembrança definitiva sobre sua marca. Esse é o poder da viralização.

Então, pare para pensar: o que você vem contando? Ela tem ajudado a empresa a se conectar com os seus clientes de uma forma incrível?

O Storytelling é uma ferramenta poderosa que não deve ser deixada de lado, combinado?

Agora que você já aprendeu algumas coisas que o Bruno do Acre pode te ensinar sobre marketing digital, é a gente que quer saber: e você? Tem alguma teoria sobre o que aconteceu com ele? Ou consegue fazer mais alguma relação do caso com esse tema?

Deixa a sua opinião pra gente nos comentários 😉

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *