10 argumentos para convencer seu chefe a investir em ferramentas para e-commerce

10 argumentos para convencer seu chefe a investir em ferramentas para e-commerce

Quem nunca precisou pedir um investimento a mais para o chefe naquele momento em que ele já deixou claro que a empresa não pode gastar mais, não sabe o que é desespero.   

Vale treinar o discurso sozinho, pensar minuciosamente na escolha de cada palavra, pedir pra um colega de time se transformar no patrão pra ver se tá colando e repetir essa sequência 5234 vezes para, mesmo assim, sentir que ainda não tá preparado para vencer a missão impossível  de fazer o boss abrir a mão.   

Brett Eldredge GIF - Find & Share on GIPHY

Mas se você sabe que precisa daquela ferramenta para conseguir potencializar os resultados do e-commerce e consequentemente fazer faturamento aumentar, nós estamos com você!

Afinal, as ferramentas para e-commerce existem para fazer o seu negócio performar mais e melhor. Elas devem ser vistas como um investimento real e não como um custo que não gera retorno nenhum.

Para te ajudar, separamos 10 argumentos que irão fazer o coração do seu chefe amolecer.

#1 “Atraímos muito tráfego mas não convertemos quase nada.”

Você sempre gasta aquela grana de mídia paga, atrai muuuuita gente para o seu site mas no final das contas, quase ninguém compra.

Sensação de que o dinheiro foi jogado fora e de que todo o tempo usado para a criação e divulgação das campanhas foi perdido.

Poucas coisas podem ser mais frustrantes do que isso, né? Parece que o seu trabalho não serviu para nada.

E o chefe também não deve ficar nem um pouco contente com uma situação assim, afinal, no final do dia, o que importa mesmo é quanto foi vendido. De nada adianta estar com uma campanha super legal e cheia de acessos, se isso não converte em vendas.

É como se atrair os visitantes fosse o primeiro passo de uma engrenagem que precisa de algo mais para rodar.

Mostre que o negócio está no caminho certo: as pessoas já estão visitando o site e conhecendo a marca, mas precisam de um empurrãozinho extra para comprar.

E é justamente aí que existem ferramentas para e-commerce que podem ser muito úteis, te ajudando a transformar esses visitantes em clientes.  

Com elas, você pode cadastrá-los em sua base e mais que isso, conhecer mais sobre quem eles são para depois se comunicar com eles por meio de campanhas hiper personalizadas.

Assim, você se relaciona com quem tem interesse no seu produto ou serviço para que quando essa pessoa esteja no momento certo para tomar uma decisão de compra, pense na sua marca em primeiro lugar.

Para entender tudo o que você pode fazer para otimizar a sua taxa de conversão, dá uma olhada nesse outro artigo que separamos, clicando aqui.  

#2 “Já viu a nossa taxa de carrinho abandonado? É gigante!”

Se as taxas de carrinho abandonado estão nas alturas, você tem uma ótima oportunidade em mãos. Quem chegou até esse momento, tem um alto nível de interesse no que está sendo vendido e você tem informações muito estratégicas para fazer o quase-cliente voltar para comprar.

Mas como fazer isso sem as ferramentas certas? É simplesmente impossível!

Ter um comportamento proativo e não só esperar o consumidor voltar “só se ele quiser” é essencial para melhorar as taxas de carrinho abandonado. É preciso se relacionar e correr atrás para garantir que a compra seja feita.

Além disso, experiências ruins no check out também podem resultar na perda de muitas vendas.

Lembre-se que em uma compra online, não existe a possibilidade de tirar aquela dúvida com o caixa e que o usuário pode simplesmente fechar a aba do site na hora que quiser, caso não sinta confiança em colocar os números do cartão ou fique com preguiça de preencher um formulário gigante com os seus dados.  

Trabalhar com ferramentas que garantam maior conversão nessa fase é item obrigatório para quem quer crescer com sustentabilidade.

#3 “Ninguém volta para comprar de novo. Nossa taxa de recompra é mínima!”

Quando gostamos de uma marca, geralmente não ficamos só na primeira compra, né? Por isso, se sua taxa de recompra está muito baixa ou se as pessoas demoram tempo demais para voltar, pode acender a luzinha de alerta.

Ter estratégias focadas na fidelização desse público é uma maneira muito inteligente de ganhar escala investindo menos em mídia paga, por exemplo. Tenha pessoas falando bem e recomendando o que você vende ou faz, e o seu negócio vai crescer.

Pensa bem: você confia mais em um produto que foi indicado por um amigo ou em um anúncio que apareceu no seu feed do Facebook? Pois é.

Para conseguir fidelizar e ganhar embaixadores de marca, é preciso ter a noção exata de quem são os clientes, suas preferências, gostos e interesses, para criar um plano de ações que seja vantajoso para os dois lados.   

No início, você pode até fazer isso manualmente (mesmo que dê um trabalhão) mas se sua loja virtual der realmente certo, será preciso investir em ferramentas que automatizam alguns desses processos.  

#4 “Dá uma olhadinha na taxa de rejeição do site e me explica porque está tão alta assim.”

Os visitantes entram no site e já saem logo de cara, sem interagir com mais nada?

Sem dúvidas, ganhar e prender a atenção dos usuários no universo digital, que tem uma quantidade gigantesca de conteúdo sobre qualquer assunto, é uma tarefa árdua.

A página tem um conteúdo bacana, um visual que parece ser intuitivo e por isso, quando você se pergunta por que as pessoas não estão interagindo não dá para descobrir o porquê.

E mesmo que até dê para formular uma hipótese aqui e outra ali, todas serão apenas uma opinião pessoal se não forem comprovadas por dados e informações de navegação reais.

Para conseguir tudo isso, só usando ferramentas que permitam rodar testes A/B e que sejam capazes de te dar um panorama geral de como está sendo a experiência do usuário nas páginas.

Seu chefe pode se assustar com a diferença que uma simples mudança de cores ou de lado de um box pode fazer nas taxas de conversão.  

#5 “Estamos perdendo market share.”

A concorrência no varejo online está mais acirrada a cada dia.

São pessoas que querem empreender sem ter as despesas de uma loja fixa, outras que precisam ter uma fonte de renda extra e uma quantidade imensa de ferramentas que facilitaram muito a vida de quem quer começar a vender online.

Diante desse mercado competitivo, ter um bom posicionamento de marca é essencial para que ela não seja facilmente trocada pelos consumidores. Mostre o que ela tem de único e aposte em um bom relacionamento com quem já é cliente ou lead.

Se não quer perder market share, as pessoas que estão do seu lado devem ser as primeiras a querer ficar ao invés de mudar de time.

Ferramentas para conseguir trabalhar com Marketing de Conteúdo e com chats online de maneira efetiva são possibilidades que devem ser estudadas.

#6 “A situação não está nada boa. Fechamos no vermelho!”

Para ter a noção exata do que anda acontecendo com um e-commerce, é preciso ir além do Google Analytics e apostar em ferramentas que sejam capazes de alavancar os resultados.

A versão gratuita do GA é um bom ponto de partida para você descobrir quais são os pontos críticos que precisam ser melhorados para fazer a empresa sair do vermelho. Mas ter esses dados em mãos, não faz com que a situação mude.

É preciso saber de forma clara o que precisa mudar, porque se tudo continuar igual, a tendência é que o faturamento só vá despencando. Por isso, não tenha medo de investir enquanto ainda existem boas possibilidades de salvar o negócio.

Não deixe o barco afundar de vez!

Talvez implementar as ferramentas certas seja exatamente a ajudinha para virar o jogo.     

#7 “Vamos escolher ferramentas que se adaptem às nossas possibilidades.”

Sempre quando precisar contratar uma nova ferramenta para melhorar a performance do e-commerce, é importante lembrar que existem várias opções de preços, funcionalidades e plataformas no mercado.

Pesquisar, comparar e conversar com quem já usa é parte essencial para tornar esse processo de decisão mais efetivo e para evitar arrependimentos.

Defina em qual momento está o negócio para escolher os melhores planos e para priorizar o que irá gerar maiores retornos.

o grande problema é a taxa de rejeição? Dê uma olhada em ferramentas de UX.

Tem muitos carrinhos abandonados? Conheça as soluções da Social Miner que te permitem fazer marketing humanizado com esses leads.

É preferível pagar um fee fixo? Por CPA? Ou repassar uma porcentagem das vendas?

Por isso, para minimizar as chances de acabar se arrependendo por ter contratado aquela ferramenta caríssima sem ter pessoas na equipe que são capacitadas para usá-la, saiba muito bem qual é a sua realidade antes de fechar o negócio.

#8 “Sabia que dá pra calcular o ROI exato de cada ferramenta?”

Se no tempo em que só existiam campanhas offline era praticamente impossível calcular o retorno dos investimentos, a história no ambiente online mudou radicalmente.

Quanto de receita um comercial de 30 segundos no horário do Jornal Nacional vai te gerar? Quantas pessoas irão visualizá-lo realmente prestando atenção? Não dá pra saber.

Com a internet, trabalhar com métricas ficou muito mais fácil. Depois de definidas, quase sempre, você pode acompanhá-las em tempo real, fazendo os ajustes necessários para potencializar os resultados.

E isso vale para todas as ferramentas para e-commerce que o negócio usar.

Vamos imaginar uma situação: antes de começar a usar a plataforma da Social Miner, somente 5% dos seus clientes voltava para comprar outro produto, já no mês seguinte.

A partir do momento em que o People Marketing começou a ser usado em campanhas personalizadas e com mensagens hiper segmentadas em diferentes canais, a taxa de recompra aumentou para 12%.

Ou seja, acompanhando indicadores como esse, você sabe exatamente quanto do valor que investiu para usar a ferramenta está retornando em forma de lucro.

#9 “É impossível ser assertivo e estratégico confiando só em achismos e intuição.”

Para ter números e informações estratégicas em mãos, é preciso ter ferramentas que sejam capazes de gerá-las. Só assim, com análises e reflexões baseadas em fatos, é possível ter embasamento nas tomadas de decisão.

Na hora de definir uma nova linha de produtos, por exemplo, você pode achar que deve apostar no mercado X e tem 99% de certeza que vai dar certo.

Mas essa é uma opinião pessoal e só sua. Seus usuários e clientes podem estar esperando algo totalmente diferente.

Ou seja, para tomar a melhor decisão é preciso ter ferramentas que te permitam conhecê-los a fundo e fazer pesquisas de mercado, por exemplo.

Conseguir analisar as páginas mais acessadas, os produtos que são os líderes de vendas e os que apresentam a melhor margem de lucro também podem ser interessantes para esse tipo de expansão.  

Esse foi só um exemplo pontual para mostrar que sem uma plataforma que comprove por A + B qual é o melhor caminho a ser seguido, o que você pensa é só um achismo que tem 50% de chances de dar certo e 50% de chances de dar errado.  

#10 “Quer crescer? Precisamos nos profissionalizar!”

Contar com ferramentas para e-commerce que auxiliam desde a gestão da equipe até as campanhas de marketing, passando pelo monitoramento da concorrência, é elemento obrigatório para quem quer se profissionalizar.

Se quiser vender cada dia mais, aumentando o tráfego e a base de leads, mas mantendo a qualidade, não existe outra opção.

É preciso deixar o amadorismo de lado e começar a trabalhar com as ferramentas que podem otimizar o seu tempo, o seu dinheiro e os seus resultados.

Para ter lucro, é preciso investir e confiar em quem está nessa jornada com você.

A união de uma boa equipe com as ferramentas certas é sinônimo de sucesso e muitas vendas!

Quer saber quais soluções a plataforma da Social Miner tem para o seu e-commerce? Clique aqui.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *